E esse tal de Design Thinking?

No dia 29 de maio deste ano, uma parte da equipe da Saiba + compareceu à palestra sobre Design Thinking do Luis Alt na faculdade FAAP, em São Paulo.

Eu, particularmente, sou do time de designers que não usam o termo Design Thinking. Prefiro dizer que estou realizando um trabalho no campo do design de serviços, mas isso depende de cada um, né?

Um dos pontos mais interessantes da palestra foi a explicação da relação entre serviços e produto – chegando à conclusão de que todo produto é um serviço e vice-versa! A diferença é a forma como cada um é desenvolvido e vendido. Luis Alt acredita que “produtos” desenvolvidos como serviços podem ter um resultado final melhor e atender de forma mais eficiente e sustentável seus requisitos.

Um exemplo de produto pensado como serviço é o purificador de água da Brastemp. Você paga uma mensalidade para manutenção do equipamento e não o equipamento em si:

 

Outro ponto importante foi a definição de que o Design Thinking é baseado em três pilares do design:

     1) Empatia: o significado denotativo da palavra é “colocar-se no lugar do outro”. Nós, aqui na Saiba +, fazemos isso de várias formas, com pesquisas com os usuários de determinado serviço, testando o serviço, realizando análises heurísticas etc. O Luis Alt sugere, além dessas, uma observação contextual imparcial. Ou seja, sem nenhuma interferência nas ações do usuário, no ambiente certo e apenas com a observação dos profissionais.

     2) Colaboração: trazer clientes e consumidores para participar do processo de desenvolvimento do projeto.

     3) Experimentação: validar a todo momento se o que está sendo desenvolvido faz sentido e atende às necessidades do consumidor. É preciso aceitar o erro, pois é a partir deles que acertamos.

Como designers de Experiência do Usuário (UX), buscamos desenvolver os projetos nesses três pilares! Gostamos muito de incluir o consumidor final e o cliente no processo de desenvolvimento do projeto (e gostaríamos de fazer isso com mais frequência). Amamos quando podemos testar e retestar o que fizemos e assim melhorar o produto final. A parte da empatia… Bom, isso já é algo que faz parte de nós. 😉

Como disse o Luis Alt: “Design Thinking não é uma metodologia, mas sim uma abordagem”.

 



comente