Pesquisa da Saiba+ traça o panorama da UX no Brasil

pesquisa UX

Como praticamos UX no Brasil? Quais as diferenças entre o trabalho de UX em empresas, agências e consultorias? Que técnicas usamos? Sabemos medir o impacto do nosso trabalho? Essas são algumas das questões que buscamos discutir – e responder – com a pesquisa sobre o panorama do mercado de UX no Brasil.

Realizada em dezembro de 2015 através de um questionário online, a pesquisa teve 233 respostas de profissionais ligados à área. Vamos apresentar os resultados completos durante o 5º WIAD – Dia Mundial da Arquitetura de Informação (que acontece dia 20 de fevereiro, na sede do Google em São Paulo), e adianto aqui alguns dos achados mais interessantes.

Como você descreve o lugar em que você trabalha?

Mais da metade dos respondentes (vide gráfico que abre o post) trabalha em empresas nas quais UX é uma ferramenta para seu objetivo final. Isso mostra como a disciplina vem ganhando importância no mercado, já não é um trabalho de nicho. Organizações de porte cada vez maior criam áreas focadas em UX. Ter uma equipe interna estruturada é o primeiro passo para garantir a maturidade da experiência de uso de produtos e serviços.

Quais destas metodologias você usou nos últimos seis meses?

Screenshot 2016-02-16 15.20.57

A lista de metodologias usadas recentemente mostra uma tendência para atividades de pesquisa sem contato direto com o cliente final. Benchmark foi a técnica mais citada (mais de 60% das empresas e 70% das agências a utilizam) – o que faz muito sentido: uma pesquisa de concorrentes e referências pode ser feita por alguém da equipe, sem a necessidade de envolver outras áreas ou aprovar novos orçamentos.

Personas e Jornadas do consumidor também aparecem em destaque, mas aqui vale uma reflexão: será que esses documentos são sempre montados tendo como base pesquisas com consumidores reais? Minha experiência mostra que nem sempre esse é o caso.

Uma constatação positiva: testes de usabilidade foram realizados por mais de 50% dos respondentes. Muitos experimentaram os testes pela primeira vez, em versões informais realizadas no escritório. É um bom sinal que mostra a crescente popularização da metodologia, uma das mais efetivas do arsenal de usabilidade.

Questionários online foram aplicados por uma parcela significativa de respondentes. Essa metodologia é uma das formas mais fáceis de iniciar uma cultura de conversas com o cliente final – ela pode trazer bons insumos e não tem as barreiras clássicas de custo e tempo associadas a entrevistas.

Como são feitos os testes de usabilidade na sua empresa?
Screenshot 2016-02-16 15.21.08

Métricas de sucesso

O dado mais impressionante da pesquisa diz respeito a métricas de sucesso: entre as empresas, mais de 60% afirmou não saber medir o sucesso de ações de UX:

Screenshot 2016-02-16 15.21.15

 

UX tem ganhado força e espaço no mercado. Acreditamos muito nas possibilidades de negócio criadas por nossas metodologias, mas não sabemos mensurar e vender nosso sucesso. Medir o ROI de UX é um dos grandes desafios que encontramos como comunidade. Se, por um lado, é realmente difícil isolar o que é o investimento em UX, por outro temos que aprender a falar a linguagem de quem paga as contas.

O tema ROI merece um post só para ele. Mas fica o convite para pensarmos como comunidade de prática: com essa carência de números que comprovem nossos resultados, como vamos aumentar nossa participação estratégica nos negócios?


, updated on

6 thoughts on “Pesquisa da Saiba+ traça o panorama da UX no Brasil

  1. Oi Carol, super parabéns pela iniciativa e resultado da pesquisa. Muito valiosa para o mercado.

    Achei curioso o % de profissionais de agencia que conhecem o ROI de UX ser bem maior que o de quem trabalha em empresas, que geralmente conhecem mais do negócio e conseguem acompanhar muito mais o ciclo de vida do produto e seus usuarios (ou deveriam).

    abraços!

    • Carolina Leslie says:

      Oi Robson,

      Concordo com você – também estranhei a % de agências que diz conhecer o ROI de UX. Tomara que eles conhecam mesmo e ajudem a espalhar essa métrica pelo mercado. 🙂

      De qualquer forma, vou investigar melhor esse dado em uma pesquisa futura.

      Bjs!

  2. Violeta says:

    Oi

    Parabéns pela pesquisa e post, realmente muito informativo e interessante. Gostaria de saber se é possível ter acesso a essa pesquisa por completo para fins de estudo e pesquisa?

    Obrigada

comente