Busca em e-commerce: o que faz sentido na tela reduzida

80% dos usuários de internet no mundo têm um smartphone. No entanto, as taxas de conversão do acesso mobile a sites de e-commerce ainda são muito baixas – cerca de ⅓ a ¼ da conversão no desktop (1). Esse dado evidencia uma característica que observamos com frequência em testes de usabilidade: as pessoas pesquisam no celular e concluem a compra em outro dispositivo.

Usuários pesquisam produtos desde os estágios iniciais de um processo de compra até a decisão: como é o produto que eu quero, qual loja tem, quanto custa, quais são as características, em qual loja está mais barato, o que estão dizendo as outras pessoas que compraram.

É importante que o site mobile de uma marca facilite o encontro do produto que o usuário quer e, para isso, o campo de busca – ao lado de um ótimo SEO – em sites de e-commerce é fundamental.  

De acordo com os princípios de usabilidade mobile do Google, o campo de busca deve ocupar uma posição proeminente na tela e estar sempre visível, pois usuários procurando por um produto ou informação específica recorrem primeiramente à busca. A busca deve ser oferecida sempre em um campo de texto aberto.

Esse é um bom exemplo:

mobile

Porém, como em todas as regras, há exceções a essa também. Para bater o martelo quanto ao posicionamento e apresentação do campo de busca, é preciso considerar o lugar onde o usuário está no fluxo da procura e compra do produto. O tamanho reduzido da tela do mobile faz com que cada espaço seja superconcorrido. Pense no valor do metro quadrado em uma avenida valorizada da sua cidade: se você abrir um negócio para vender paletas mexicanas (ainda por cima no inverno), provavelmente irá à falência rapidinho.   

Dentro de uma página de detalhe de produto, por exemplo, o usuário teoricamente já encontrou o que precisa. Talvez ele ainda realize uma nova busca – mas, nesse momento, o reduzido espaço de tela precisa ser utilizado para informações relevantes sobre o produto e para o call to action. Isso, agora, é mais importante do que um campo de busca aberto.

A importância da busca depende do tipo de produto vendido. Para um grande varejista, que tem um catálogo enorme e muitas categorias de produtos, a busca é fundamental. Em uma loja de roupas, no entanto, faz mais sentido realçar a navegação e os destaques. A busca pode ser colocada no cabeçalho, fechada (apenas o ícone), junto ao menu. Como neste exemplo:

mobile

Na verdade, não oferecer o campo de busca aberto sequer na home é uma tendência em e-commerce de roupas. A própria Asos, do exemplo acima, faz isso:

asos

Ao abrir o campo, o site esconde a home – e mostra o histórico de busca.

Na ModCloth, o campo abre ocupando o espaço de um banner promocional:
mod

Certos segmentos só têm busca, pois o menu não faz sentido para o tipo de negócio. Pense em companhias aéreas: a busca é a única forma para se encontrar um vôo. E são muitos campos:

gol

Como continuar oferecendo essa busca em uma página de resultados?

A Virgin o faz de duas maneiras: um link para iniciar uma nova busca e um atalho, ao lado do preço, que abre os campos:

virgin

 

Às vezes, a luta por espaço na pequena tela é tão acirrada que resulta em ideias polêmicas.

Por exemplo, que tal colocar o campo de busca dentro do menu?

menu

Mas, espera, o report do Google não diz justamente que é preciso ter um campo de busca sempre visível porque muita gente não usa o menu? Então, adianta esconder a busca no menu? Como sempre em UX, não existe uma resposta – é preciso levar em conta o contexto, os objetivos de negócio, o produto e o usuário. Ou seja, estudar e fazer pesquisa. O que não dá é pra enfiar a busca no menu só para constar – e porque não tem mais lugar na tela inicial.

Além dos campos e localização adequada na tela, para uma boa busca é preciso oferecer ferramentas que facilitem o encontro. Como o auto-suggest. A C&A mostra itens mais buscados, antes mesmo de o usuário iniciar a digitação:

cea

A Dafiti dá sugestões e produtos relacionados:

dafiti

A Uniqlo separa entre categorias e produtos, e indica as quantidades:

uniqulo

A Asos vai mostrando todos os resultados disponíveis para o termo procurado e indica as quantidades de produtos em cada um:

asos

As boas práticas para busca em mobile existem – mas, como tudo em design, não são one size fits all. As regras têm que ser adaptadas, contextualizadas, e modificadas de acordo com o que faz sentido para cada projeto. UX, afinal, não tem respostas prontas – mas sim ferramentas para que se encontre a melhor solução.

___

Fontes:

  1. Ecommerce Conversion Rates


Alessandra Nahra

Escrevo, cuido de bichos, danço, cozinho, planto e tento ser amável com todo mundo.

comente